divórcio ou casamento eterno?...

2007-02-20

Quaresma

Vou aproveitar esta semana para dar umas voltas.
Antes, porém, gostaria de partilhar estas palavras de S. João Crisóstomo para irmos meditando durante a Quaresma. São tiradas da Homilia L das dedicadas ao Evangelho de S. Mateus

E não pensemos que basta para a nossa salvação apresentar no altar um cálice de ouro e pedrarias depois de termos despojado viúvas e órfãos. Se queres honrar a Eucaristia, apresenta a tua alma, pela qual foi oferecida. A tua alma é que há-de ser de ouro. Pois se ela é pior que o chumbo ou que uma pedra, de que vale então o vaso de ouro? Não nos preocupemos apenas em apresentar vasos de ouro mas vejamos se procedem do justo trabalho. Porque mais precioso que o ouro é o que nada tem a ver com a avareza. A Igreja não é um museu de ouro e prata, mas uma reunião de anjos. Almas é o que precisamos pois Deus as prefere aos vasos sagrados.
Não era de prata a mesa nem o cálice no qual o Senhor, na última ceia, deu aos seus discípulos o seu próprio sangue. E, no entanto, que precioso era tudo aquilo e que venerável e quanto estava cheio do Espírito Santo! Quereis verdadeiramente honrar o corpo de Cristo? Não consintais que permaneça despido. Não o honreis com roupas de seda aqui dentro, enquanto, lá fora, o deixais perecer de frio e nudez. Porque o mesmo que disse: "Este é o meu corpo" e com a sua palavra firmou a nossa fé, é o mesmo que disse: "Vistes-me com fome e não me destes de comer".
O sacramento não necessita de preciosos ornamentos mas de uma alma pura; os pobres, pelo contrário, precisam de muito cuidado. Aprendamos, pois, a pensar discretamente e a honrar Cristo como ele quer ser honrado. Porque para quem se quer honrar, a honra mais grata é a que ele mesmo quer, não a que nós imaginamos. (...)
Ao falar assim, não é minha intenção proibir que se façam semelhantes oferendas. O que peço é que, conjuntamente com elas, e mesmo antes delas, se pratique a esmola. Num caso só quem dá é que aproveita; no outro, aproveita quem dá mas também quem recebe. Nas oferendas pode tratar-se apenas de ostentação; na esmola, a caridade é tudo. Que aproveita ao Senhor que a sua mesa esteja cheia de vasos de ouro se Ele se consome de fome? Sacia primeiro a sua fome e, depois do que sobrar, ornamenta a sua mesa. Fazes um copo de ouro e não dás um copo de água fria? E que proveito haverá em cobrir o seu altar com panos recamados de ouro se a Ele não o procurais nem lhe arranjais abrigo? (...)
Pensa tudo isto de Cristo. Ele anda errante e peregrino, necessitado de tecto, e tu, que não o acolhes a Ele, entreténs-te a ornamentar o pavimento, as paredes e os capitéis das colunas e em dependurar lâmpadas de ouro. Mas a Ele não queres nem vê-lo nas cadeias da prisão.

1 Comentários:

Anonymous Eremita disse...

Belo post para reflectir sem dúvida.
Quanta ostentação quando apenas a nossa alma é que interessa no Reino do Pai.O Amor é a melhor herança que podemos deixar como Jesus a legou a todos nós,vivendo na pobreza apenas com o essencial.

21/2/07 19:05

 

Enviar um comentário

<< Home