divórcio ou casamento eterno?...

2010-07-18

As poupanças da Saúde

Sou um doente de cancro que há mais de quatro anos frequenta a Ortopedia B dos HUC (Hospital Universitário de Coimbra). Não posso dizer que passei lá os momentos mais agradáveis da minha vida, mas posso afirmar com toda a convicção que encontrei lá sempre, da parte de todos os “servidores” desde o Director, Médicos, Enfermeiros, Administrativos e Auxiliares, para lá do bom e cuidadoso tratamento clínico, a melhor dedicação, carinho e amor à pessoa do doente. Sempre há um sorriso, uma laracha, uma anedota, um estímulo a estarmos bem dispostos. Quando, numa das minhas estadias, entornei, a meio da noite, um urinol quase cheio e foi preciso fazer toda a cama de lavado, lá veio, embrulhado num sorriso, “não se preocupe, estamos cá para isto!”.
Mesmo quando não estou internado (felizmente tenho intervalos, mais ou menos alargados, em casa, o que é muito mais agradável) lá vou todos os quinze dias para pedir duas seringas de heparina. E, no meio de tanta azáfama, há sempre alguém que interrompe o que está a fazer para preparar as seringas.
Não quero endeusar ninguém, até porque em todo o lado há bons e maus, embora nuns sítios mais que noutros, mas sinto-me na obrigação de dizer estas palavras introdutórias.
É que nestas minhas andanças por lá e pela leitura de jornais tive conhecimento de que estão a ser implementadas algumas restrições. Espero que elas não ponham em causa a centralidade da pessoa do doente.
Sei que a situação financeira do país obriga a contenções de custos, nomeadamente na Saúde. Mas também sei que infelizmente algumas Administrações e chefias intermédias dão prioridade à ”redução de camas”, ao corte nos medicamentos, à desorganização de Serviços com grande qualidade assistencial construídos, com muita dedicação ao longo de vários anos.
A racionalização dos custos tem de passar obrigatoriamente por uma melhor gestão dos recursos humanos e técnicos e reorganização dos Serviços de modo a aumentar a produtividade e eficiência, a diminuir o recurso a horas extraordinárias, mesmo, que para isso, tenham de ser afrontados lobbies “intocáveis”, a evitar desperdícios, como, por exemplo, a diminuição de consumo energético, um maior cuidado na utilização do material, a substituição do papel pelo suporte informático ou até da água engarrafada pela água da torneira.
outras situações, que, podendo não ter um grande impacto económico, não só põem em causa a credibilidade das medidas tomadas, mas também porque, partindo de pessoal dirigente, servem de justificação a uma não colaboração colectiva, sem a qual nenhuma medida pode ser eficaz. Por exemplo, a atitude de um administrador ou um director de serviço, acabado de nomear, que gasta balúrdios na compra de mobiliário novo para o seu gabinete que já encontrava condignamente apresentável, ou na aquisição de novos carros.
As nossas derrapagens económicas e éticas e a falta de qualidade de serviços prestados são também fruto da incompetência de muitas das chefias, a todos os níveis. Por isso gostaria de referir uma conversa que, há já alguns anos, tive em Lisboa, com alguém conhecedor destes meios. Queixava-me eu dos “jobs for boys” e ele, com sorriso irónico, respondeu-me: “Pois os governos são muito acusados disso, mas da minha experiência e da de outros amigos, os principais responsáveis por essas nomeações, e algumas envolvem pessoas bem incompetentes, não são tanto os Governos mas muito mais a Maçonaria e a Opus Dei, que dividem, equitativamente entre si, os “tachos” mais apetecíveis e poderosos”.
Abri a boa de parolo ingénuo, mas depois fui vendo as nomeações mais sonantes e tentar saber qual o seu partido e verifiquei que muitas vezes não joga “a bota coma perdigota”.

E por aqui me fico, porque não sei como denunciar este escândalo. Porque se fossem só os governos nós podíamos castigá-los pelo voto, mas, se são essas seitas que não concorrem directamente às eleições, como é que os podemos pôr fora da corrida carreirista?

2 Comentários:

Blogger Alvaro disse...

Sr. Zé Dias admiro a sua coragem e a sua sabedoria.
Muita saúde para si e para os seus.
Mantenha o seu Blog como sempre informando e lutando para que haja justiça social.

22/7/10 15:57

 
Blogger Zé Dias disse...

Esta é uma luta que tem de ser de todos. Cada um no seu espaço de vida e de poder. É um tempo em que todos somos chamados a ser realmente honestos, transparentes e verdadeiramente empenhados em mudar de vida para mudar a vida.
Um grande abraço pelo apoio e boas férias.

26/7/10 14:35

 

Enviar um comentário

<< Home