divórcio ou casamento eterno?...

2008-07-03

Igualdade radical entre a mulher e o homem

Ontem fiz uma pequena lista de mulheres heroínas, profetizas, juízas, todas elas tão libertadoras do povo de Israel como alguns homens.
Hoje gostaria de destacar três ou quatro passagens onde é manifesta a afirmação da radical igualdade entre a mulher e o homem

Gn 1,27
Criou Deus o ser humano (´adam) à sua imagem,
à imagem de Deus o criou,
macho (zakar) e fêmea (neqebah) os criou.

Duas notas:
1) Enquanto nas cosmogonias vizinhas, o homem foi criado pelos deuses para os servir, isto é, alimentá-los e oferecer-lhes sacrifícios e oferendas, e também para uma função teológica mais subtil, a de servir de bode expiatório para livrar os deuses do “pecado”, pois eles odiavam-se e assassinavam-se, tal como os mortais, como se pode ver no Enuma Elish (Poema babilónico da criação), na Bíblia o ser humano (‘adam) é criado à imagem e semelhança de Deus, para o representar neste mundo e para cultivar e guardar o jardim que é a terra (Gn 2,15).
2) O ser humano é logo, no próprio acto criador, criado como homem (zakar significa qualquer coisa como “penetrar”) e mulher (neqebah, significa “ser rasgada”). Portanto mulher e homem são ambos igualmente criados à imagem e semelhança de Deus; ambos, sem qualquer prioridade. Podia ainda referir-se que a sexualidade "pagã" está muito ligada à prostituição sagrada (hierogamia) nas religiões cananeias, enquanto na Bíblia é um elemento fundamental para o desenvolvimento e estruturação da pessoa humana.

Num 27, 1-11
Esta passagem pouco conhecida conta um episódio interessante. Como se sabe, as mulheres não tinha direito a herdar bens familiares. Quando das divisão das terras, aconteceu que Maala, Noa, Helga, Melca e Tersa, filhas de Salffad, ficaram sem nada porque o seu pai tinha morrido e Moisés não lhes distribuira terras porque eram mulheres. Então elas foram queixar-se a Moisés, que “levou a causa à presença do Senhor”, que lhe deu a seguinte resposta: “É justo o que dizem as filhas de Salfaad, dá-lhes uma propriedade entre os irmãos de seu pai e passa-lhes a herança deles”. E a partir deste caso, o Senhor estabeleceu uma regra geral: “Morrendo alguém sem deixar filhos varões, passareis a herança às filhas. Se não tiver filhas, passará para os irmãos. Se o pai não tiver irmãos, passará para os irmãos de seu pai…”
Esta norma “será para os filhos de Israel uma regra de direito, como ordenou o Senhor a Moisés”.
Afinal, por decisão de Deus, as mulheres podem herdar exactamente como os homens.

Para não me alongar muito hoje, retomo o tema amanhã.

1 Comentários:

Anonymous nata disse...

ó pai, não falaste da questão (muito mais conhecida pela pessoas) da mulher "sair" da costela do homem, o que muitos aproveitam para justificar a superioridade do homem em relação à mulher.

4/7/08 18:51

 

Enviar um comentário

<< Home